Cinema UFBA

Exibição do Documentário: Àkàrà, no fogo da intolerância

Descrição: 

 

 

Documentário: Àkàrà, no fogo da intolerância
 
Documentário aborda intolerância religiosa e revela polêmica envolvendo o acarajé
Àkàrà, no fogo da intolerância será exibido gratuitamente na Sala de Arte da UFBA.
 
Em tempos de intolerância religiosa e polarização política, sobrou até mesmo para um dos ícones mais tradicionais da culinária baiana: o acarajé. A iguaria corre o risco de perder o título de Patrimônio Histórico e Imaterial pela descaracterização da sua receita original e comercialização por pessoas de outros credos. É com base em relatos de baianas de acarajé e resgate de acontecimentos históricos que surge o documentário Àkàrà, no fogo da intolerância. O doc será exibido na terça-feira (27 de fevereiro), na Sala de Arte da UFBA, às 19h. Entrada Franca.
 
Sobre o doc – Em Àkàrà, no fogo da intolerância, três baianas de acarajé conduzem a narrativa, que conta também com a participação de líderes religiosos e especialistas, que discutem a intolerância praticada contra as religiões de matriz africana. “Fizemos um apanhado dos casos mais marcantes dos últimos anos, uma análise histórica partindo da perspectiva de quem sofre este tipo de violência e a relação com o racismo estruturante instaurado na sociedade”, explica a diretora Cláudia Chávez.
 
Mais do que uma mistura de feijão, camarão e dendê, o acarajé – do Iorubá, àkàrà (bola de fogo) e jé (comer) – é um prato ofertado em ritual religioso à Iansã, rainha dos raios, ventos e tempestades. "Pra gente, do terreiro, o acarajé é como se fosse a hóstia da igreja católica ou a Santa Ceia dos evangélicos. Porque é sagrado, é uma oferenda para um orixá, e um orixá lindo, que é Iansã", afirma Rita Santos, presidente Nacional da ABAM e uma das personagens do filme.
 
Produzido pela Apus – Produtora de Conteúdo e a Obá Cacauê Produções, o projeto foi contemplado pelo Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) e ANCINE para a grade do Canal Curta!, com estreia na TV ainda em 2020. A trilha sonora é assinada pelo maestro Letieres Leite e produção executiva de Fabíola Aquino. “Depois da pré-estreia, as expectativas passam pela participação em festivais e mostras de cinema, nacionais e internacionais, além de manter a discussão viva acerca do tema em apresentações públicas em Salvador e interior da Bahia”, conta Fabíola. 
 
Participam do documentário Rita Santos, presidente da ABAM; Cida Abreu, militante do Movimento Social Negro Brasileiro; Jaciara Ribeiro, yalorixá do Abassá de Ogum; Walmir França, militante do Movimento Negro; professor doutor Jaime Sodré; Vilma Reis, socióloga; professor doutor Hélio Santos; Anne Rodriguez, socióloga; pastor Djalma Torres, líder religioso e as baianas de acarajé Cida, Liu e Dadai.
 
Ficha técnica
Direção e Roteiro: Claudia Chávez
Produção Executiva: Fabíola Aquino
Direção de Fotografia: Marcelo Pinheiro
Som Direto: Regivan Santa Bárbara
Finalização de Áudio: Nuno Penna
Trilha Sonora: Letieres Leite
Direção de Arte e Design: Bruno Biano
Montagem: Claudia Chávez
Finalização de Cor e CG: Marcelo Pinheiro
Pesquisa: Vagner Rocha
Assistente de Produção: Hamilton Oliveira
 
Serviço
O que: Exibição do documentário Àkàrà, no fogo da intolerância
Quando: terça-feira (27 de fevereiro), às 19 horas
Onde: SALA DE ARTE - UFBA
Entrada gratuita! 
 
Informações para a imprensa
Fabíola Aquino – Contato: (71) 99145-7119
DJ Branco – Contato: (71) 99151-0631
 
Clube Press – Assessoria de Comunicação
Assessoria de Imprensa: Marcos Paulo Sales (Jornalista DRT/BA 2246)
Contatos: (71) 99135-5465 (WhatsApp)
 

Sessão Aberta De Cinema De Fevereiro Exibe o Filme Rio

Descrição: 

 

Neste mês do Carnaval nossa sessão será antecipada para o dia 15 de fevereiro, sábado da próxima semana, e o cartaz será o filme Rio, de 2011, dirigido por Carlos Saldanha, com classificação indicativa livre e duração de 95 minutos.
 
Resumo do filme:
Blu é uma arara azul que nasceu no Rio de Janeiro, mas foi capturada por contrabandistas de animais e levada para Minnesota, nos Estados Unidos, antes mesmo de aprender a voar. Lá vive domesticada e é criada por Linda. Um dia, conhecem um especialista em aves que diz que Blu é o último macho da espécie e deseja que ele se acasale com a única fêmea viva, Jade, que vive no Rio. Eles viajam para lá. Porém, Blu e Jade são capturados por uma quadrilha que vende aves raras. Enquanto Linda e Túlio procuram pelas aves, Blu e Jade tentam escapar com a ajuda de animais amigos. Tudo isso em plena folia de Carnaval!
 
A Sessão Aberta de Cinema é uma atividade mensal promovida pela Pró-Reitoria de Extensão Universitária (Proext/UFBA) e Faculdade de Medicina da Bahia que exibe filmes para o público infanto-juvenil portador de necessidades sensoriais especiais, preferencialmente animações (desenhos animados) de curta ou longa-metragem.
 
Para isso, essa é uma sessão de cinema em que o público pode circular pela sala, entrando e saindo livremente. Com luzes parcialmente acesas e som abaixo do habitual, cria-se um ambiente confortável para essas pessoas. Mas quem não tem essas necessidades especiais também é bem-vindo.
 
O objetivo é acolher no ambiente do cinema quem habitualmente não frequenta as salas comerciais de cinema, em especial crianças e adolescentes com transtorno do espectro autista, por não se adaptarem às condições das projeções e por constrangimento sofrido por seus familiares. De modo complementar, o projeto visa promover o convívio entre autistas, portadores de outras limitações e pessoas consideradas sadias.
 
 
Serviço:
O quê: Sessão Aberta de Cinema | Exibição do filme Rio  
Quando: 15 de fevereiro, sábado, às 10 horas.
Onde: Cinema da UFBA (Vale do Canela).
Para quem: público em geral e pessoas com necessidades sensoriais especiais
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Sessão Aberta De Cinema De Novembro Exibe a Animação Ernesto e Celestina

Descrição: 

 

A Sessão Aberta de Cinema acontece no dia 30 de novembro, sábado, às 10 horas, no Cinema da UFBA.
 
O filme escolhido é a animação Ernesto e Celestina, de 2012, dirigido por Benjamin Renner, Vincent Patar e Stéphane Aubier, baseada em desenhos de Monique Martin, sob o pseudônimo de Gabrielle Vincent, com classificação indicativa livre e duração de 81 minutos.
 
Resumo do filme:
Celestina, uma ratinha órfã, cresceu no mundo subterrâneo dos roedores. Celestina gosta de desenhar. Ernesto é um urso, vive na superfície é músico. Ursos e ratos não são amigos. Um dia, Ernesto, com fome, procura comida e conhece a ratinha. Celestina não tem medo do urso e o convence a não a comer e a se servir de doces. Pouco a pouco, contrariando o que é comum entre esses animais, uma amizade se constrói entre Ernesto e Celestina.
O cenário é imaginativo e os desenhos em aquarela são alegres e suaves, sem deixar de representar a tristeza e o medo na vida dos personagens.
 
A Sessão Aberta de Cinema é uma atividade promovida pela Pró-Reitoria de Extensão Universitária (Proext/UFBA) e Faculdade de Medicina da Bahia (Prof. Lauro Porto) e, ocorrendo todo mês, exibe um filme ou curtas para o público infanto-juvenil portador de necessidades sensoriais especiais.
 
Pensando nisso, essa é uma sessão de cinema em que o público poderá circular pela sala, entrando e saindo livremente. Com luzes parcialmente acesas e som abaixo do habitual, cria-se um ambiente confortável para essas pessoas. Mas as pessoas sem essas necessidades especiais também são bem-vindas.
 
O objetivo é acolher no ambiente do cinema pessoas que habitualmente não frequentam as salas comerciais de cinema, em especial crianças e adolescentes com transtorno do espectro autista, por não se adaptarem às condições das projeções e por constrangimento sofrido por seus familiares. De modo complementar, o projeto visa promover o convívio entre autistas, portadores de outras limitações e pessoas consideradas sadias.
 
 
  
Serviço:
O quê: Sessão Aberta de Cinema | Exibição da animação Ernesto e Celestina
Quando: 30 de novembro, sábado, às 10 horas.
Onde: Cinema da UFBA (Vale do Canela).
Para quem: público em geral e pessoas com necessidades sensoriais especiais
 
 
 

Cinemas em Rede de novembro exibe "Substantivo Feminino"

Descrição: 

 

O Cinema da UFBA recebe no dia 21 de novembro, quinta-feira, às 19 horas, mais uma edição do Cinemas em Rede para exibir o documentário Substantivo Feminino, de Daniela Sallet.
 
O documentário resgata a história de Giselda Castro e Magda Renner, duas mulheres que foram fundamentais na militância em favor do meio ambiente, não só no Brasil, mas mundialmente. Tudo começou no ano de 1964, quando elas promoveram ações de cidadania junto à população carente e desinformada na Ação Democrática Feminina Gaúcha (ADFG). E foi a partir de então que as duas percorreram o mundo em conferências internacionais, na ONU e no Banco Mundial.
 
Após a exibição, haverá um debate transmitido com a diretora Daniela Sallet, em conexão com as salas de Cinema Universitário que fazem parte do projeto.
 
Cinemas em Rede é fruto do Rede de Cinemas Digitais, projeto que interconecta diversos cinemas universitários pelo país através da rede acadêmica, desenvolvido pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) em parceria com o Ministério da Cultura (MinC). 
 
Serviço:
O quê: Cinemas em Rede. Exibição do documentário Substantivo Feminino, de Daniela Sallet. Na sequência, debate com transmissão para todas as salas de Cinema Universitário que fazem parte do projeto.
Onde: Cinema da UFBA, Vale do Canela, Salvador, BA
Quando: 21 de novembro, quinta-feira, às 19 horas
ENTRADA FRANCA